A volta do gato destrambelhado

Por Jurandir Craveiro (*)

Personagem principal de uma coleção de livros infantis, famosa no Reino Unido, o gato Mog, que morrera de velhice no último livro em 2012, renasce agora na campanha de Natal da Sainsbury’s.

mogEm cada um dos 18 títulos da série original, inaugurada em 1970, o gato se mete em trapalhadas espantosas, envolvendo o casal de donos, Sr. e Sra. Thomas, e seus filhos, Nicky e Debbie. Não é comum uma série literária, ainda mais infantil, se encerrar com a morte da estrela central. Mas foi o que aconteceu.

Pois agora a autora Judith Kerr criou uma história nova como se Mog vivo fosse: Mog’s Christmas Calamity  – “A calamidade de Natal do Mog”, estrelando a campanha de Natal da Sainsbury’s. Está bombando nas redes sociais e na mídia, não só da Grã-Bretanha.

Em um filme de 3 minutos, o felino tem um pesadelo, põe fogo na casa, chama os bombeiros meio sem querer e termina como herói, salvando a vida da família. No final os vizinhos compartilham o que têm e podem, contribuindo para refazer o Natal da família do Mog. Até a Judith Kerr aparece fazendo uma ponta como vizinha. Os valores qualitativos de produção e execução são magistrais.

Casa perfeitamente com o conceito habitual da cadeia de supermercados durante a estação das festas: Christmas is for sharing – “O Natal é para ser compartilhado”.

No ano passado, a campanha da Sainsbury’s contou a história verídica de uma trégua emocionante na I Guerra Mundial:

“No gelado dia de Natal de 1914, os soldados dos dois lados largaram as armas, abandonaram as trincheiras e confraternizaram a céu aberto. Inimigos cantaram juntos, trocaram lembranças e jogaram futebol, no meio da terra de ninguém.”

(Veja o meu post anterior “Quando o varejo leva um Grand Prix“.)

Assim como em 2014, a marca dedica a uma causa os lucros da venda do novo livro, ilustrado pela autora, e de um Mog de pelúcia. Com apoio dela e da editora HarperCollins, a doação neste ano irá para o programa nacional de alfabetização e estímulo à leitura das crianças, implantado pela ONG britânica Save The Children.

Alguém sabe de alguma cadeia de varejo  –  supemercado ou não  –  que tenha feito uma campanha de Natal desse quilate aqui no Brasil? Ok, qualquer marca, não precisa ser de varejo. Digo, com a mesma qualidade conceitual, mesma criatividade e mesmo tipo de vínculo com uma causa?


(*) Jurandir Craveiro é planejador de marca e comunicação. Foi fundador da agência NBS. É presidente do Conselho Diretor do Instituto Socioambiental, vice-presidente do Grupo de Planejamento (GP) e autor do Blog do Jura.